Precisa decidir entre LCI ou Tesouro Direto para investir? Descubra quais as vantagens

Investir é uma ótima maneira de fazer o dinheiro crescer e garantir um futuro financeiro mais seguro. Entretanto, com tantas opções disponíveis, pode ser confuso para quem está começando ou até mesmo para quem já conhece as modalidades do mercado. Nesse contexto, duas opções populares no Brasil têm ganhado destaque: o Tesouro Direto e a LCI.

Ambas as opções são consideradas seguras e previsíveis, com rendimentos que podem variar de acordo com as taxas de mercado e o prazo do investimento. No entanto, há diferenças importantes entre elas, como o fato de que a LCI é isenta de impostos para pessoa física, enquanto o Tesouro Direto é tributado.

A seguir, analisaremos as características e diferenças entre essas duas opções de investimento, a fim de ajudá-lo a decidir com segurança qual delas é a melhor opção. Vamos lá?

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa desenvolvido pela Secretaria do Tesouro Nacional do Brasil em conjunto com a B3, que tem como objetivo democratizar o acesso à compra e venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, de forma totalmente online.

Lançado em 7 de janeiro de 2002, o programa permite que investidores de todos os perfis e níveis de renda possam investir em títulos públicos do governo brasileiro, garantindo segurança, rentabilidade e liquidez. Com o Tesouro Direto, é possível escolher entre diferentes opções de títulos, cada um com sua própria característica e prazos de vencimento, permitindo que o investidor escolha a melhor opção de acordo com seus objetivos financeiros e perfil de investimento.

O Tesouro Direto é seguro?

O Tesouro Direto é considerado um investimento seguro, já que os títulos são emitidos pelo Governo Federal e possuem garantia do Tesouro Nacional. Além disso, a liquidez diária permite que o investidor possa resgatar o dinheiro a qualquer momento.

Dessa forma, o Tesouro Direto pode ser indicado para diversos tipos de investidores, desde os mais conservadores até os mais arrojados, que buscam diversificar sua carteira de investimentos. É uma opção interessante para quem busca segurança e facilidade, pois é possível comprar títulos com valores acessíveis a cerca de R$ 30,00.

Quais as vantagens e desvantagens do Tesouro Direto?

Vantagens do Tesouro Direto Desvantagens do Tesouro Direto
Investimento considerado seguroRendimento pode não ser tão alto quanto outras opções de investimento
Possibilidade de diversificação com diversos títulos e prazosPode haver perda de dinheiro caso o título seja vendido antes do prazo
Acesso fácil e prático, podendo ser feito pela internetRisco de mercado, que pode afetar a rentabilidade dos títulos
Investimento 100% digitalPrecisa declarar Imposto de Renda
Liquidez diária, permitindo o resgate dos títulos a qualquer momentoPode haver cobrança de taxas de corretagem e custódia

Quanto rende o Tesouro Direto?

Os títulos do Tesouro Direto são divididos em quatro categorias: Tesouro Selic, Tesouro IPCA, Tesouro Prefixado e, o mais novo, título do Tesouro RendA+. Cada uma dessas categorias tem títulos com características e rendimentos do Tesouro Direto diferentes:

  • Tesouro Selic: o rendimento dos títulos Tesouro Selic é atrelado à taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira. Esses títulos têm baixa volatilidade e são indicados para investidores que buscam segurança e liquidez. Em agosto de 2023, a rentabilidade anual do Tesouro Selic era de cerca de 13,25%.

  • Tesouro IPCA: os títulos Tesouro IPCA, como o próprio nome sugere, têm rentabilidade atrelada ao IPCA, que é o índice oficial de inflação do país. Esse tipo de título é indicado para investidores que querem se proteger da inflação e garantir um rendimento real. O Tesouro IPCA tem títulos com diferentes prazos e rentabilidades. Em março de 2023, a rentabilidade anual dos títulos Tesouro IPCA variava de 5% a 6,5% além da inflação.

  • Tesouro Prefixado: os títulos Tesouro Prefixado têm rentabilidade definida no momento da compra, ou seja, o investidor sabe exatamente quanto vai receber no vencimento do título. Esse tipo de título é indicado para investidores que querem se proteger da volatilidade do mercado e garantir uma taxa de rendimento fixa. Em março de 2023, a rentabilidade anual dos títulos Tesouro Prefixado variava de 11,90% a 12,9%, dependendo do prazo do título.

  • Tesouro RendA+: os títulos do Tesouro RendA+ tem como objetivo oferecer ao investidor uma rentabilidade acima da inflação. Em março de 2023, a rentabilidade dos títulos Tesouro RendA+ variava de 6% a 6,5% ao ano, mais a variação do IPCA.

  • Tesouro Educa+: os títulos do Tesouro Educa+, oferece 16 títulos públicos dedicados ao financiamento da educação para as famílias.

Lembrando que, a rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos.

Quanto rende R$ 1.000,00 no Tesouro Direto?

O rendimento de R$ 1.000,00 no Tesouro Direto pode variar de acordo com o tipo de título escolhido pelo investidor e o prazo de vencimento. Existem opções de títulos prefixados, pós-fixados e híbridos, cada um com sua própria rentabilidade e prazo de vencimento.

Por exemplo, no Tesouro IPCA+, que é um título híbrido que combina uma taxa de juros prefixada com a variação do IPCA, índice que mede a inflação, um investimento de R$ 1.000,00 pode render cerca de 5,50% ao ano além da correção do poder de compra, considerando o cenário de abril de 2023. 

Vale lembrar que essa rentabilidade pode variar ao longo do tempo e entender as características de cada opção de investimento antes de tomar uma decisão. Lembrando que, a rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos.

Quais as taxas do Tesouro Direto?

A taxa de custódia é cobrada pela B3 (Bolsa de Valores do Brasil), que é responsável por registrar e custodiar os títulos do Tesouro Direto. Essa taxa corresponde a 0,25% ao ano sobre o valor total dos títulos custodiados, e é cobrada de forma proporcional ao período em que o investidor mantém os títulos.

A taxa de corretagem é cobrada pela instituição financeira intermediária que o investidor escolheu para realizar a compra e venda dos títulos. Essa taxa do Tesouro Direto pode variar de acordo com cada instituição financeira, podendo ser uma taxa fixa ou uma porcentagem sobre o valor investido. Lembrando que no Inter não cobramos taxa de administração.

Tesouro Direto tem Imposto de Renda?

Todos os investidores que possuem títulos do Tesouro Direto precisam declarar Imposto de Renda, independentemente do valor investido. A obrigatoriedade da declaração não está relacionada ao valor investido, mas sim ao fato de possuir investimentos no Tesouro Direto. Portanto, mesmo que o valor investido seja baixo, é importante fazer a declaração anualmente para estar em conformidade com a legislação fiscal.

O Imposto de Renda sobre investimentos incide sobre o rendimento dos títulos e varia de acordo com o momento que ocorrer o resgate. Para títulos que forem resgatados em até 180 dias após a aplicação, a alíquota é de 22,5%. Para prazos entre 181 e 360 dias, a alíquota é de 20,0%. Para prazos entre 361 e 720 dias, a alíquota é de 17,5%. E, quando o resgate ocorrer após 720 dias, a alíquota chega a 15,0%. Veja a tabela:

Tributações e taxas da LCI

Tempo de Investimento Alíquota
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20,0%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15,0%
Fonte: Receita Federal

O que é LCI?

LCI ou Letra de Crédito Imobiliário, é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras. Quando você investe em uma LCI, está emprestando dinheiro para a instituição financeira em troca de juros, para que ela utilize esses recursos para financiar empreendimentos imobiliários. Em troca, a instituição oferece uma remuneração ao investidor, geralmente atrelada a um índice de referência, como o CDI ou a taxa Selic, é isenta de Imposto de Renda para pessoas físicas.

Como funciona a LCI?

Ao investir em LCI, o investidor está emprestando dinheiro para uma instituição financeira, que utilizará esse recurso para financiar empreendimentos imobiliários. Em troca, o investidor receberá juros sobre o valor investido, que são acordados no momento da aplicação.

Uma das principais vantagens da LCI é a isenção de Imposto de Renda sobre os rendimentos, o que a torna um investimento mais atrativo em relação a outras opções de renda fixa. Além disso, a LCI também conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para investimentos de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, o que aumenta a segurança do investimento.

É importante destacar que a LCI é um investimento de baixa liquidez, ou seja, não é possível resgatar o dinheiro investido antes do prazo acordado, onde o mínimo encontrado no mercado será de 90 dias, o que pode afastar alguns investidores iniciantes.

Qual é o prazo de vencimento de LCIs?

Em geral, o prazo mínimo de vencimento de uma LCI é de 90 dias, mas existem títulos com prazos mais longos, como de 1, 2, 3 ou até 5 anos. É importante que o investidor verifique o prazo de vencimento do título antes de investir, para ter uma ideia melhor da liquidez do investimento. Vale lembrar que, quanto maior o prazo de vencimento, maior tende a ser a rentabilidade do título.

Quais as vantagens e desvantagens para quem investe em LCI?

Vantagens da LCI Desvantagens da LCI
Isenção de Imposto de RendaNecessidade de investir um valor mínimo para ter acesso ao investimento
Investimento considerado seguroLiquidez pode ser limitada, dependendo do prazo do título
Possibilidade de diversificação com diversos emissores e prazosRentabilidade conservadora em relação a ativos de renda variável
Garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)Risco de crédito, que pode afetar a rentabilidade do título
Baixo risco de inadimplência por parte dos emissoresResgate só no término da aplicação

Qual o rendimento da LCI?

As taxas de rentabilidade são expressas em percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é a taxa de juros praticada entre os bancos e serve como referência para os investimentos de renda fixa.

Por exemplo, uma LCI que oferece rentabilidade de 90% do CDI e possui prazo de 2 anos, terá um rendimento aproximado de 12,3% ao ano, considerando a taxa atual do CDI em torno de 13,65% ao ano. Esse rendimento pode ser distribuído mensalmente de forma proporcional ao período de investimento.

LCI é isento de Imposto de Renda?

Sim, a LCI é um investimento isento de Imposto de Renda para pessoas físicas. Isso significa que os rendimentos obtidos com a LCI não são tributados pelo Imposto de Renda, o que torna esse tipo de investimento mais atrativo para o investidor.

Sendo assim, a isenção não se aplica a investidores institucionais, como empresas e fundações, já que as características desse tipo de investimento podem variar de acordo com a oferta do mercado.

Comparação entre Tesouro Direto e LCI

Vamos analisar as principais diferenças entre o Tesouro Direto e a LCI para ajudá-lo a decidir qual é a melhor opção, veja:

Características Tesouro Direto LCI
RentabilidadePode ser mais altaRentabilidade geralmente menor
LiquidezPossibilidade de venda antes do prazo, mas pode perder dinheiroGeralmente não é possível resgatar antes do prazo
SegurançaInvestimento considerado seguroConsiderado seguro, mas depende da instituição financeira que emitiu o título
DiversificaçãoDiversas opções de títulos e prazosGeralmente oferece menos opções de diversificação
ImpostosPrecisa declarar IRIsento de Imposto de Renda, mas pode estar sujeito a outros impostos como o IOF

Rentabilidade

Os títulos públicos têm uma rentabilidade que pode estar atrelada à taxa Selic hoje, ao IPCA ou ser prefixado, e essa escolha vai fazer muita diferença no resultado do investidor ao longo do tempo. As LCIs também podem ter diferentes formas de rentabilidade, que pode ser maior que dos títulos do tesouro em função do seu risco de emissor, que acaba sendo maior do que da União. Atualmente, a Selic está em um patamar histórico alto, o que significa que os títulos do Tesouro estão oferecendo taxas de juros mais altas do que nos últimos anos.

Liquidez

O Tesouro Direto oferece mais liquidez do que a LCI. Você pode vender seus títulos públicos a qualquer momento, embora possa perder dinheiro se vender antes do prazo de vencimento. Já as LCIs geralmente têm prazos mais longos e podem ter restrições quanto à possibilidade de resgate antecipado.

Segurança

Tanto o Tesouro Direto quanto a LCI são investimentos seguros. O Tesouro Nacional é o emissor dos títulos do Tesouro Direto e é considerado um credor confiável, enquanto as LCIs são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250.000 por CPF, e emitidos por grandes instituições financeiras.

Diversificação

Tanto os títulos do Tesouro Direto quanto as LCIs podem oferecer diferentes tipos de rentabilidade e taxas de juros, que podem ser vinculadas a indexadores ou não. Ambas podem oferecer então possibilidades de diversificação para a construção da sua carteira.

Impostos

A LCI tem isenção de imposto de renda para pessoas físicas. No entanto, elas podem estar sujeitas a outros impostos, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), se forem resgatadas antes de 30 dias de investimento. Já os títulos do tesouro sofrem incidência de IR seguindo a tabela regressiva de imposto, que varia de 22,5% a 15%.

E agora, qual é o melhor investimento?

O Tesouro Direto e a LCI são duas opções populares de investimento de renda fixa no Brasil. Ambas têm seus pontos fortes e fracos, e a escolha entre elas dependerá do perfil do investidor e de seus objetivos financeiros.

Se você busca segurança com uma rentabilidade garantida no vencimento, mas com maior liquidez, mesmo que isso possa trazer perdas, o Tesouro Direto pode ser a melhor escolha para você. Mas, se você está disposto a deixar o dinheiro preso, com menor liquidez, mas com uma rentabilidade garantida, a LCI pode se encaixar nos seus objetivos de forma melhor.

Conheça a Inter Invest!

Seja LCI ou Tesouro Direto, no Inter você investe de forma simples!

Com a Inter Invest você tem praticidade e segurança para realizar suas operações, afinal, não tem nada mais prático do que ter o seu banco e a sua corretora em um só lugar, não acha?

Pelo Super App você investe em poucos cliques, pode receber dinheiro de volta com o programa de cashback, tem acesso aos nossos relatório do cenário econômico e investe do seu jeito, com total autonomia.

Banner Joe

Perguntas Frequentes

O Tesouro Direto é seguro?

O Tesouro Direto é considerado um investimento seguro, já que os títulos são emitidos pelo Governo Federal e possuem garantia do Tesouro Nacional. Além disso, a liquidez diária permite que o investidor possa resgatar o dinheiro a qualquer momento.

Dessa forma, o Tesouro Direto pode ser indicado para diversos tipos de investidores, desde os mais conservadores até os mais arrojados, que buscam diversificar sua carteira de investimentos. É uma opção interessante para quem busca segurança e facilidade, pois é possível comprar títulos com valores acessíveis a cerca de R$ 30,00.

Como funciona a LCI?

Ao investir em LCI, o investidor está emprestando dinheiro para uma instituição financeira, que utilizará esse recurso para financiar empreendimentos imobiliários. Em troca, o investidor receberá juros sobre o valor investido, que são acordados no momento da aplicação.

Uma das principais vantagens da LCI é a isenção de Imposto de Renda sobre os rendimentos, o que a torna um investimento mais atrativo em relação a outras opções de renda fixa. Além disso, a LCI também conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para investimentos de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, o que aumenta a segurança do investimento.

É importante destacar que a LCI é um investimento de baixa liquidez, ou seja, não é possível resgatar o dinheiro investido antes do prazo acordado, onde o mínimo encontrado no mercado será de 90 dias, o que pode afastar alguns investidores iniciantes.

https://static.bancointer.com.br/blog/author/images/19aa9ea83c3740a889cdd3fec0fc860f_captura-de-tela-2023-03-17-as-120131.png
Joe RuasEspecialista em Investimentos

Responsável por simplificar a educação financeira e o mundo dos investimentos no Inter, através de redes sociais, lives, palestras e cursos.

Gostou? Compartilhe
Assuntos relacionados
Para simplificar a vida Investir
Tesouro Direto ou Poupança: entenda as vantagens e desvantagens

Tesouro Direto ou Poupança. Não perca mais tempo e comece a investir hoje mesmo! ...

Leia mais
Para simplificar a vida Investir
Como investir no Tesouro Direto em 4 etapas simples

Descubra como investir no Tesouro Direto com cerca de R$ 30 e quais os tipos...

Leia mais
Para simplificar a vida Investir
Resgate do Tesouro Direto: como funciona e quando fazer?

Entenda como funciona o resgate do Tesouro Direto com a possibilidade de resgate no mesmo...

Leia mais
Para simplificar a vida Investir
CDB ou Tesouro Direto: qual o melhor investimento hoje?

Descubra aqui a diferença entre CDB e Tesouro Direto e qual investimento é o ideal...

Leia mais
Para simplificar a vida Investir
O que é Tesouro Direto: invista nos melhores títulos públicos de 2023

Neste artigo vamos te contar tudo o que você precisa saber antes de investir no...

Leia mais
Cuidando do seu dinheiro
Quais as taxas do Tesouro Direto? Descubra se vale a pena investir

Descubra quais são as taxas do Tesouro Direto e qual título público deve fazer parte...

Leia mais